Radioterapia Legal

Estudo indica para SUS radioterapia que trata câncer de pulmão em até 5 sessões
Radioterapia

Estudo indica para SUS radioterapia que trata câncer de pulmão em até 5 sessões

Um estudo publicado na edição de outubro da revista The Lancet Regional Health – Americas propõe a substituição da radioterapia clássica por uma técnica avançada, a SBRT (Stereotactic Body Radiation Therapy, ou radioterapia estereotática corporal) para tratar câncer de pulmão na rede pública de saúde.

Mesmo sendo mais cara, por necessitar de alta tecnologia, a SBRT é uma estratégia com maior taxa de cura, e consequentemente maior custo-benefício do que a radioterapia fracionada convencional (CFRT) para o câncer de pulmão de não pequenas células em estágio inicial, que representa entre 80% e 85% dos casos.

O procedimento não está no rol da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) nem é reconhecido pelo SUS, mas cerca de 20% dos serviços privados e 10% dos públicos no país o possuem.  A SBRT age na lesão e protege os tecidos sadios ao redor, através de uma técnica com base em tomografias 4D.

Na radioterapia clássica, com dose diária mais baixa, o paciente faz 30 sessões em seis semanas.  Na SBRT são realizadas normalmente até cinco aplicações com altas doses por dia. Vários estudos já haviam comparado as duas técnicas e comprovado que a tecnologia mais moderna aumenta a sobrevivência e oferece um controle da doença em torno de 90%, sem ser invasiva.

A SBRT também pode ser utilizada no tratamento de outros cânceres, como próstata, metástase pulmonar e na coluna.

A Sociedade Brasileira de Radioterapia pretende submeter o estudo à análise da Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde) para possível incorporação ao SUS.

Via Folha de São Paulo

Escrito por Radioterapia Legal - 03/11/2022 - 340 Views

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *