Descomplicado a radioterapia

Cientistas usam inteligência artificial para detectar câncer de esôfago
Câncer

Cientistas usam inteligência artificial para detectar câncer de esôfago

Recentemente, especialistas da University College London (UCL) em parceria com a empresa Odin Vision utilizaram inteligência artificial (IA) para ajudar a detectar os primeiros sinais de câncer de esôfago.

Esse foi o primeiro procedimento no mundo usando a tecnologia da IA e foi realizado no hospital universitário da UCL pelo gastroenterologista Dr. Rehan Haidry como parte de um sistema chamado CADU, que visa usar a IA para apoiar os médicos na identificação do tecido cancerígeno.

A CADU obteve aprovação regulatória no início de 2021, tornando-o o primeiro dispositivo médico que utiliza a IA para câncer de esôfago a ser aprovado pelos órgãos regulatórios dos Reino Unido para uso em pacientes.

Os primeiros sinais de câncer de esôfago são difíceis de diagnosticar, e é um dos com menor taxa de sobrevivência, inferior a 20%, o tornando um dos mais letais e agressivos. O câncer se forma no esôfago, que vai do fundo da garganta até o estômago. Estudos mostraram que até 25% dos cânceres no esôfago não são detectados em exames de endoscopia.

Para diagnosticar este câncer, um médico normalmente usa uma pequena câmera de vídeo para olhar dentro da garganta do paciente, em busca dos primeiros sinais da doença, como mudanças sutis na cor e no padrão do tecido.  Porém, essa mudança pode ser muito sutil e bem difícil de se detectar.

A grande inovação do sistema de inteligência artificial CADU está em sua programação. O sistema é ensinado a classificar os tecidos entre saudáveis e doentes, usando os padrões visuais em imagens. Ou seja, durante o procedimento de endoscopia, o CADU analisa a imagem da câmera de vídeo em tempo real e fornece informações sobre as características visuais do tecido, apoiando os médicos em sua inspeção do esôfago. Se detectada precocemente, a doença pode ser erradicada em mais de 90% do tempo com um procedimento menos invasivo.

Este primeiro uso da inteligência artificial na triagem do câncer de esôfago é um marco importante e pode trazer resultados notáveis para a medicina.

Fonte: Medical Express

Escrito por Radioterapia Legal - 16/07/2021 - 115 Views

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *